R.do Catete, 183, SL106 - Catete, Rio de Janeiro - RJ, 22220-001
  • (21) 2558-1741
  • (21) 2533-2881

4 em cada 10 empresários pretende efetivar temporários

DATA: 02/10/2019

4 em cada 10 empresários pretende efetivar temporários

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e pelo Serviço de Proteção ao Crédito em todas as regiões do país mostra que o número de empregos temporários deve crescer com a demanda de fim de ano. Além disso, 4 a cada 10  empresários têm a intenção de efetivar os temporários contratados.

O levantamento, que ouviu 1.177 empresários que atuam no comércio e serviços, revelou que 29% deles pretendem efetivar um único colaborador e 11%, dois ou mais colaboradores.

Para os empregos temporários, a média de contratação deve ficar entre um e dois profissionais. Quatro em cada dez (41%) devem permanecer por três meses, enquanto 23% ficarão por dois meses e 12% apenas um mês.

Entre as modalidades de contratação para o final de ano, 52% disseram que empregarão temporários, 49% abrirão vagas informais e 45% formais, ou seja, com carteira assinada, e 28% farão contratação terceirizada.

As vagas de emprego temporárias mais procuradas pelos empresários são as de ajudante (31%), vendedor (26%), balconistas ou atendente de loja (9%), motorista (6%), caixa (4%) e estoquista (4%).

Levando em conta quem contratou ou pretende contratar funcionários neste ano, a remuneração média dos profissionais corresponde a 1,6 salário mínimo, ou R$ 1.597. E, em média, a jornada de trabalho deve ser de oito horas diárias.

A pesquisa mostra que aproximadamente 103 mil vagas de emprego serão abertas até dezembro — um aumento de 43,8 mil postos de trabalho em relação ao previsto ano passado.

Contudo, as contratações devem se concentrar em novembro (29%), enquanto 23% reforçarão seus quadros no mês de outubro. Já 14% deixarão para abrir vagas em dezembro. Além desses, 8% contrataram em agosto e 14% recrutaram extras durante o mês de setembro.

Em meio a um cenário mais otimista, o levantamento aponta recuo de 72% para 69% no percentual de empresários que não têm a intenção de fazer contratações nesse fim de ano, sejam temporários, informais, efetivos ou terceirizados.

Por outro lado, houve aumento de 17% para 23% no percentual dos que contrataram ou devem contratar ao menos um colaborador. A principal justificativa para os reforços do quadro de funcionários é atender ao aumento da demanda neste período do ano, com 88% das menções.

Compartilhar: